2

Adoração – Parte I

Palavra profética: “Eu, o Senhor, busco adoradores em espírito e em verdade. Eu vou atrás e trago para junto de Mim os adoradores (leia João 4). Eu, me revelo ao adorador. Eu estou presente com Ele onde quer que esteja. Eu me revelo pessoalmente ao adorador, para que Ele me veja e me conheça como Eu Sou. Estarei vivendo nos adoradores, os busco para que vivam em Mim e os faça ser como Eu sou. Eu os procuro, não são eles que me procuram.”

Adorar é conhecer a Deus! Só O conhecemos quando O adoramos. Isso é algo muito profundo que envolve espírito e alma. Poucas pessoas sabem o que é adorar. “Quando você adorar na profundidade de um coração que está submisso, sempre haverá uma manifestação da Minha glória e do Meu grande poder. São esses adoradores que se transformam na Minha imagem e semelhança. É impossível alguém Me adorar enquanto estiver cheio de si mesmo. Venho buscar os que Me amam, e por isso Me adoram, porque me amam. Eu quero que todos Me adorem, mas nem todos conseguem alcançar esse alto nível que é me adorar verdadeiramente – pois poucas pessoas estão dispostas a fazer sacrifícios.”

Existe uma grande diferença quando nós buscamos a Deus pelo nosso esforço e quando Ele mesmo nos busca. Temos de ser esses adoradores em que o próprio Deus buscará por nós, pois Ele sabe e conhece aqueles que têm um coração de adorador.

Dessa forma, Ele procura o adorador para que seja um com Ele e se torne como Ele é. O adorador é imergido em Deus por ter uma grande facilidade e sensibilidade para permanecer em Sua presença. Diferentemente, aqueles que tem essa dificuldade não conseguem adorar. Ser adorador é um nível de existência tão elevado, pois este tem um conhecimento, uma facilidade de reconhecer e ver o Senhor onde quer que Ele esteja e em qualquer forma que esteja manifestado.

Em 2 Reis 17:35-39, mostra que a única maneira de vencermos os nossos inimigos é sendo um adorador, pois a adoração é uma arma poderosíssima.

Adorar não é cantar belos cânticos, louvar, expressar palavras de amor espontâneas, mesmo que seja inspirada pelo Espírito Santo. Isso apenas faz parte da vida do adorador. Adoração é uma prostração, total submissão, uma negação total do eu, é obedecer sem questionar, é ser fiel até a morte, amar incondicionalmente.

 Adoração é um sacrifício! Se não conseguimos sacrificar, não somos adoradores. Os que sacrificam sua própria vida com a sua vontade própria, seus sonhos, tudo o que mais almejam, sua comodidade e segurança ou aquilo que mais amam; esses são os verdadeiros adoradores, que adoram em espírito e em verdade! São os que se tornam um altar de sacrifício, de onde flui adoração constantemente. O altar de adoração está nosso coração e espírito, e o sacrifício para adorar está em nossa alma e mente.

 Jesus disse: “Eu já fiz todo o sacrifício, mas ainda há uma cruz. Então tome a sua cruz a cada dia, negue-se a si mesmo e siga-me.”

Essa passagem ensina a adorar e os que obedecem são os verdadeiros adoradores. Aqueles que não querem se proteger, não estão preocupados com a sua reputação e com a sua própria vida. Os adoradores verdadeiros estão sempre renunciando e seguindo a Cristo. Esse sacrifício agradável, que o Pai recebe como adoração, é somente em amor e obediência à Sua perfeita vontade. Cristo fez o maior sacrifício, e isso é o que nos dá a graça para segui-lo fazendo o que Ele fez. Poderemos fazer sacrifícios, movidos por um espírito contrário, ou mesmo por vã religiosidade, sem amor algum, isso nunca será uma adoração verdadeira a Jesus Cristo.

 Todo sacrifício abre um portal dimensional, porque o que sacrificamos deve ser de grandioso valor e importância para nós, senão não seria um sacrifício. Por isso, o maior nível de adoração é quando sacrificamos. Hoje, graças ao sacrifício de Jesus na cruz do calvário, não necessitamos sacrificar animais para nos purificar. Cristo foi o perfeito sacrifício dado aos homens, somente por seu sangue somos purificados e temos acesso ao trono da graça para obtermos salvação.

Todavia, sacrificamos para entrar em níveis de conhecimento de Cristo e da Sua glória ainda mais profundos. Se deixamos tudo por Ele e vamos para cruz, com Cristo morreremos; esse é o nosso verdadeiro chamado e sacrifício. Jesus não possuía toda a autoridade antes de ir para cruz, só Lhe foi entregue depois de ser sacrificado. E, ainda assim, foi necessário que Ele descesse ao inferno tomasse as chaves das mãos de satanás e ressuscitasse; para que recebesse toda a glória, autoridade e poder.

 O nível de autoridade e poder que possuímos está relacionado com o quanto estamos dispostos a sacrificar. Ou seja, quanto de nossa adoração é verdadeira e parte de um coração que está unido a Jesus, de forma que faremos qualquer coisa para agradá-lo.

Para sacrificar sempre será preciso ter fé. Fé e a fidelidade estão no coração de um adorador, pois ele adora porque tem fé e é fiel até a morte naquilo que crê. Quando andamos por fé estamos adorando a Deus, porque sem fé é impossível agradá-lo. Fé é confiar, acreditar e depender totalmente do Seu amor e poder, da Sua fidelidade, por meio da obediência. Fé é descansar Nele; isso é adoração. Assim como Abraão quando foi sacrificar Isaque, Abraão acreditou totalmente em Deus, confiando que Ele sabia o que estava fazendo, então obedeceu e sacrificou. A consequência disso foi adoração a Deus que tornou Abraão o Pai da fé. Somente quando estamos dispostos a morrer firmes na fé é que nos tornamos verdadeiros adoradores. Sl 4:5, Sl 50:5

É do tabernáculo de Deus, a Sua morada, de onde irá fluir a genuína adoração. Devemos construir uma morada para Ele, mas para isso é preciso saber adorar, sacrificar até que Ele possa vir habitar em nós. Há níveis de sacrifícios, pois sempre será de acordo com o chamado e o propósito de cada um. Em Ageu capítulo um o Senhor diz para subirmos o monte, trazer madeira e construir o templo, para que nele seja glorificado.

Subir o monte fala de sacrifício, a madeira é aquilo que consideramos valioso e importante para nós: essa madeira será queimada no altar do sacrifício, é o que Deus nos pedirá como prova do nosso amor e da nossa fé. Porquanto, aquilo que tem muito valor para os homens é detestável para Deus; não tem nenhum valor para Ele. Precisamos aprender a ver como o Senhor vê e ouvir como Ele ouve. Levítico 3:1, Sl 51:17, Rm 12:1

Os adoradores irão revelar a identidade do Criador, vão se tornar como Ele, manifestarão Sua imagem e semelhança. A Palavra de Deus diz que nos tornamos parecidos com aquilo que adoramos. A adoração, por ser algo tão profundo, é como um batismo, uma imersão naquilo que é adorado. Ou seja, falamos, vivemos, manifestamos, aquilo em que confiamos, e imergimos diariamente. Sl 115:8

Aqueles que não comem diariamente de Cristo terão dificuldades em adorá-Lo. O ato de contemplá-Lo e admirá-Lo e fazer Dele o nosso pão diário é que vai nos tornar adoradores apaixonados rendidos à Sua vontade; capazes de qualquer sacrifício para ir a níveis mais altos com Ele.

adoraçãoagradar a Deusamorbeijar a Deuscomunhãocriatividadeexpressar amorintimidadelouvarlouvorluzsacrifíciosobrenaturalsonsvidavida com Deus

igrejagloriosa • 9 de julho de 2015


Previous Post

Next Post

Comments

  1. Rebeca 7 de outubro de 2015 - 21:24 Reply

    Estou muito interessada em descobrir cada vez mais os planos de Deus em minha vida!
    Obrigada!

    • igrejagloriosa 12 de Janeiro de 2017 - 18:48 Reply

      Vamos orar por isso, obrigado! Volte sempre

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado / Campos obrigatórios estão marcados *