Como ser livre do orgulho e das legalidades de leviatã – Parte I

Como é dito popularmente: orgulho é igual mau hálito, você não sabe que tem, mas o outro sente. Por isso, é fundamental compreendermos que um discípulo de Cristo tem a humildade como sua natureza primordial. Sendo assim, todo cristão deve ser servo, amigo e sempre se humilhar, nunca buscando exaltar-se ou defender-se. Por isso, o orgulho é inaceitável para alguém que se chame CRISTÃO (discípulo de Cristo).

O primeiro a nos mostrar os erros e falhas em nossas próprias vidas é, ou deveria ser, o nosso amigo Espírito Santo. Mas quando não O escutamos, Ele usa outros  modos de reconhecermos a ação do orgulho e das forças de leviatã. Entre elas estão:

  • Arrependimento voluntário (autojulgamento);
  • Passar por um julgamento de Deus (situação adversa que te julga);
  • Aviso e correção do seu discipulador, autoridade espiritual, família e amigos;
  • Aviso profético (Deus fala com você, pode ser por meio de sonhos e visões).

Vencer o orgulho, a soberba, a altivez e a arrogância, é uma das coisas mais difíceis para o ser humano, pois mesmo sendo salvo, ainda há um processo para remover esses códigos. As raízes do orgulho são inúmeras, no entanto, – por ser um tema muito extenso — neste artigo não iremos tratar da origem do orgulho.

Hoje, iremos apresentar a parte 1 deste estudo, no qual falaremos a respeito das manifestações do orgulho e seus derivados. Para melhor compreensão do que são os derivados do orgulho, usemos como exemplo o PETRÓLEO. Do petróleo são extraídos inúmeros derivados, como a borracha, o plástico, o diesel, o querosene, e muitos outros. Da mesma forma, a partir do orgulho deriva-se várias atitudes, sentimentos e desejos que são pouco conhecidos e reconhecidos no nosso dia a dia, os quais se manifestam em nosso caráter e personalidade.

Geralmente, quando pedimos perdão ou queremos nos livrar da ação de leviatã, vamos diante de Deus e oramos assim: “Pai, em nome de Jesus Cristo, perdoa os meus pecados de orgulho e soberba, perdoa a rebeldia, eu me arrependo.” No entanto, tal oração é muito vaga para o mundo espiritual. Pois na dimensão espiritual, há muitos detalhes, e tudo o que falamos e fazemos é anotado.

Anotado? Isso mesmo! Nada é desprezado no mundo espiritual, todas nossas atitudes, pensamentos, desejos do nosso coração, e principalmente, a motivação de tudo o que fazemos, é lido e anotado no mundo espiritual. E para onde vai essa anotação? Para o Trono de Julgamento, no qual leviatã se apresenta com argumentos para nos destruir. Sim, há um Trono de Julgamento funcionando continuamente. Por isso, é dito que o diabo é legalista, ou seja, ele atua por meio dos pecados e erros, os quais concedem a ele um direito legal (juridicamente falando) para atuar e agir em nossas vidas. Porém, por meio da Graça, temos a intercessão e o sangue de Cristo que nos justifica diante do Reto e Verdadeiro Juiz – Deus Pai – que é justo em todos os Seus julgamentos.

Vamos tentar entender tudo isso de modo rápido! No entanto, lembremos que este é um tema bastante extenso, e inclusive, muito mal compreendido pela igreja, a qual não tem buscado entendimento espiritual para conhecer os Julgamentos do Senhor. Mas, cremos que a Igreja está entrando em um tempo de amadurecimento e conhecimento do Senhor nunca visto antes, e estamos aqui para ajudar a cada irmão que desejar. Por isso, caso tenha dúvidas, sinta-se a vontade para nos enviar um e-mail.

Continuando. Qual o primeiro passo para a mudança? ARREPENDIMENTO. Diante de tudo o que o Senhor tem falado à Sua Igreja, o Espírito começou a nos direcionar a nos purificarmos-nos de forma profunda de toda e qualquer natureza de leviatã que possa nos afastar do Senhor. O Espírito Santo nos levou a elaborarmos uma Lista de Arrependimento, a qual detalha as manifestações de leviatã.

Essa lista descreve 100 atitudes e códigos derivados do orgulho que podem existir em você ou em sua linha geracional. São 100, ou seja, muita coisa que temos e fazemos que procedem do orgulho e de leviatã! E por mais que sejam 100, ainda assim, não estão listados todos. Mas precisamos entrar nesse nível de detalhamento para sermos purificados por meio de um arrependimento genuíno, que procede de um coração que tem se humilhado diante do Senhor. Permitindo, assim, que o Espírito Santo convença de tudo aquilo que é contrário à genuína humildade do Reino de Deus.

Nessa primeira etapa, é importante uma autoavaliação, peça ao Espírito Santo que te mostre o que está oculto aos seus olhos. Se possível, peça ajuda a alguém conhecido para ver quais atitudes e ações de orgulho você tem, que muitas vezes são imperceptíveis para você, mas que as pessoas ao seu redor percebem. Mas, muita atenção! Quando fizer isso, NUNCA busque se defender ou justificar-se, APENAS OUÇA, isso é humildade! Pois um humilde de verdade é aquele que SEMPRE está pronto a ouvir, a aprender e a se humilhar. E só assim, o Espírito Santo encontrará espaço para transformar essa pessoa.

Desta forma, vamos sair da superficialidade e adentrar em um arrependimento profundo. Analise a lista, e comece a orar baseado no que ela descreve, se arrependendo um por um dos seus pecados e por toda a sua linha geracional, ou seja, antepassados (pai, mãe, avós, etc), confessando e se arrependendo por eles e por você diante do Trono de Deus.

Mas antes de orar, chame o Espírito Santo, e faça isso de todo o seu coração, se necessário, repita a lista mais vezes, até sentir o verdadeiro arrependimento. Peça que o poder de Cristo e do Seu sangue vão limpando você dos códigos de leviatã e de toda identificação com esse espírito. Ore para que os códigos do orgulho, da soberba, altivez e arrogância saiam do seu coração, e que haja um quebrantamento e mudança. Caso seja possível, busque ajuda de algum irmão que você confie e ame, e que da mesma forma ame você, e confesse seus pecados. A confissão diante do Senhor é imprescindível, mas a Igreja recebeu Dele próprio a autoridade de perdoar pecados.

Veja bem, você não se tornará humilde só por fazer essa oração de arrependimento, ainda que ela seja profunda. Porém, ela te ajudará a ser mais cheio Daquele que te torna humilde: Cristo Jesus. Pois, o fruto do Espírito é amabilidade e mansidão. Após a oração, muitos códigos vão ter saído e véus vão cair do seu rosto e coração, e então, busque ver a Glória de Jesus Cristo, busque ser cheio da Sua personalidade e da pessoa do Espírito Santo. Um espaço vazio sempre volta a ser ocupado. Então, decida que o Espírito Santo ocupará tudo dentro de você.

Essa é apenas a primeira etapa. A segunda etapa é muito mais difícil, sendo assim, faça bem feito essa primeira etapa, com profundidade e com desejo de não ser mais uma pessoa orgulhosa, ou uma pessoa difícil de lidar, fazendo com que as mudanças na sua vida não aconteçam! Peça ao Espírito de Deus que mostre atitudes, comportamentos, pensamentos específicos que estejam relacionados ao orgulho, tanto em você como em sua linhagem geracional.

E o mais importante: a verdadeira humildade é quando desejamos de todo o nosso coração sermos santos como o Senhor é Santo. Buscando sermos purificados por meio do Seu sacrifício, o qual permite que Seu Espírito atue em nós, nos libertando e nos purificando de todo e qualquer legalidade que as trevas possam ter em nossas vidas. Nesse nível de libertação, não estamos mais tratando de pessoas que são salvas apenas, e que lutam com sua carne para vencer pecados cíclicos. Aqui, estamos falando de pessoas que têm escolhido abrir mão de si mesmas para formar a morada do Eterno em si, para que Ele se manifeste através delas.

Para isso, é necessário que todo e qualquer código de satanás e todos os seus aliados sejam desarraigados de nosso ser, não apenas em relação a vencer pecados, mas estamos falando de uma restauração do ser humano em nível do corpo, alma e espírito, para uma manifestação real do Cristo Vivo em si.

Por amor a Ele, devemos buscar a cada segundo nos render e sermos transformados novamente à Sua imagem e semelhança – para que o mundo saiba que o Pai enviou o Filho para redimir e restaurar, por amor, toda a Sua criação. Para isso requer um arrependimento genuíno de nossa parte, para que encontremos graça diante Dele.

Pois todo aquele que a si mesmo se exaltar será humilhado, e todo aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.
Mateus 23:12

Mas ele nos concede graça maior. Por isso diz a Escritura: “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”.
Tiago 4:6

 

LISTA DE ARREPENDIMENTO DO ORGULHO

  1.  Afetação: fingimento, exageração de sentimento, simulação, vaidade, modo artificioso de estar, falar e proceder.
  2. Alarde: comportamento que denota exibicionismo. Ostentação. Pessoas que se gabam; fanfarrão.
  3.  Altivez: ver-se de uma altura muito elevada. Demonstra brio. Que está repleto de dignidade, e se preocupa muito com a sua aparência. Comporta-se de maneira muito generosa, mas também tende ser intolerante e que expressa presunção e soberba.
  4.  Amaneirado: não é uma pessoa natural. Os comportamentos são amaneirados. Pessoa moldada pelo meio; é afetada por aquilo que almeja e fantasia. Excessivamente rebuscada; que tende a ser exagerado. Presunção. Pessoa acomodada.
  5.  Apático: indiferente, insensível ao sofrimento; sem reação; sem energia.
  6.  Argumentativa: que quer convencer as outras pessoas com suas ideias.
  7.  Arrogante: tem a convicção que é o expert, o melhor em várias áreas e vários assuntos, pensa que não tem ninguém melhor que ele. Por exemplo, a pessoa se acha a melhor cozinheira, e por isso, pensa que não tem ninguém melhor do que ela. E não tem interesse em ouvir outras pessoas, pois se acha a melhor e não quer aprender com os outros. Soberba. Extremamente vaidosa. Originou-se do latim, e significa para exigir, utilizado para definir uma pessoa que se acha no direito de exigir reconhecimento do mundo. Exibe áreas de superioridade e abusa do poder no trato com outras pessoas. Pessoa alterada, sem sensibilidade com o intuito de causar pelo modo que fala agressivamente. Não deseja nem gosta de aprender com outra pessoa algo que não sabe. Não quer se sentir no mesmo nível que o outro. Exigir reconhecimento por se achar bom ou justo aos próprios olhos.
  8.  Astúcia: manha, habilidade para fazer o mal ou enganar alguém, ardil.
  9.  Avareza: apego demasiado e sórdido ao dinheiro. Mesquinhez, sovinice, miserabilidade, falta de generosidade, insignificância.
  10.  Carnalidade: Qualidade ou condição do que é carnal; lascívia, sensualidade.
  11.  Constrangido: que se sente apertado, oprimido; que perdeu sua liberdade; que se comportou de determinada forma por ter sido obrigado. Que permanece contra sua própria vontade. Que não tem escolha; coagido. Envergonhado, se sente mal em lugar estranho; incomodado.
  12.  Criticismo: ato de fazer um julgamento e análise crítica; ato de defender um conhecimento racional. Intrinsecamente ligado à filosofias.
  13.  Deboche: Depravação dos costumes; devassidão, libertinagem. Zombaria explícita e refinada; caçoada. Desprezo que denota escárnio e ironia.
  14.  Degradar: rebaixar, causar destruição, estragos.
  15.  Depreciação: desvalorizar, não dar valor, destruir.
  16.  Desacatamento: Falta de acatamento, de respeito ou de consideração; desconsideração, desrespeito. Atitude que revela menoscabo ou menosprezo.
  17.  Desconsideração: pessoas que desrespeitam, ultrajam e ofendem os outros. Pessoa que não dá nenhuma credibilidade a outra.
  18.  Descontentamento: pessoa frustrada, aborrecida; que expressa desgosto.
  19.  Desdém: ação de desprezar alguma coisa ou alguém; fazer pouco caso. Aquele que levanta a sobrancelha. Comportamento que expressa indiferença e distanciamento. Falta de zelo, desleixo por si próprio ou por qualquer outra pessoa/coisa.
  20.  Deslumbrante: que causa fascínio.
  21.  Desmazelo: pessoa relaxada; negligente; descuidado (com o corpo, casa, vida, aparência).
  22.  Desprezo: ausência de consideração; sem apreço ou estima. Faz com que a pessoa não tenha cuidado. Tem inveja, cobiça, desapego. Desprezo pelos bens materiais. A pessoa tem uma sensação de repulsa.
  23.  Dura cerviz: pessoa difícil de mudar, que não é maleável e fácil de mudança; coração duro, difícil de convencer; não se submete e não se humilha.
  24.  Egocentrismo: Atitude do indivíduo cuja concepção do mundo se caracteriza pela extrema concentração da atenção sobre si próprio.
  25.  Egoísmo: Atitude daquele que busca o próprio interesse, acima dos interesses dos demais.
  26.  Elevar: tornar-se mais alto; sentimentos elevados; falar em tom mais alto.
  27.  Enaltecer: ficar mais elevado; tornar-se grandioso.
  28.  Entufado: pessoa empolada, muito vaidosa e arrogante. Orgulhosa, soberba, pedante.
  29.  Esnobe: ignora as outras pessoas. Pessoa metida e convencida que se diz melhor que as outras. Demonstra arrogância e superioridade em suas atitudes, tratando as outras pessoas com desprezo, as quais considera não possuir atributo digno da sua atenção. Cheio de idolatria, por isso, passa a imitar o estilo de vida, os hábitos, opiniões das outras pessoas que considera refinados ou distintos. Assim, o esnobe é alguém que interpreta o que eles fazem e dizem, pois aspira o que eles são.
  30.  Esplendente: que é brilhante; luzente.
  31.  Exibicionismo: mania de ostentar suas próprias qualidades ou bens; mania de ostentar ou de se exibir. Considerada anormal pela psiquiatria, que tem problemas mentais.
  32.  Extravagante: pessoa que passa do limite; faz além daquilo que é permitido fazer. Pessoa que esconde dos outros aquilo que ela é para ser educada, porém, depois ela mostra quem realmente é. Torna-se estranho. Esbanjador.
  33.  Exuberância: Quantidade excessiva; copiosidade, superabundância.
  34.  Fantástico: fantasia na imaginação, e só existe no mundo da fantasia. Pessoa extravagante.
  35.  Feérico: fantasioso, mágico, aquilo que faz parte de um mundo de fantasia. Aquilo que confunde a visão.
  36.  Futilidade: pessoa fútil, que só dá importância ao que é superficial e insignificante.
  37.  Gabar: demonstrar jactância; vangloriar-se do que tem e das suas qualidades; elogiar-se a si mesmo; procura destacar-se.
  38.  Galhardia: pessoas que demonstram muita elegância.
  39.  Grandiosidade: característica do que imponente. Suntuoso.
  40.  Grosserias: pessoa grosseira, mal educada, não tem civilidade.
  41.  Hipocrisia: manifestação de fingidas virtudes e sentimentos bons, devoção religiosa, fingimento, falsidade.
  42.  Humanismo: amplo conhecimento científico e das obras clássicas. Movimento cultural que se propagou pela Europa na época do Renascimento, orientado para o estudo do homem e para o desenvolvimento de suas potencialidades. Doutrina que tem a concepção do homem como a referência de todas as coisas.
  43.  Idolatria: prestar culto, reverenciar e crer (pôr a confiança em) em uma entidade qualquer que não seja o Deus Criador Verdadeiro.
  44.  Imodesto: não possui nem expressa nenhuma modéstia; pessoa sem pudor.
  45.  Impaciência: falta de paciência; estado ou condição de impaciente. Necessidade de fazer uma coisa rapidamente; afobação, pressa, sofreguidão. Estado de desassossego e inquietação; aflição, agonia, ansiedade. Incapacidade de resignar-se; inconformação, irresignação, revolta. Estado de irritação; aborrecimento.
  46.  Imponente: que se impõe. Que se atribui poder, superioridade, importância.
  47.  Inanidade: pessoa que está em um estado vão, inútil, sem serventia; pessoa sem conteúdo; pessoa com falta de ação de movimento. Pessoa cheia de futilidade e supérflua.
  48.  Inércia: pessoa sem ação nem atividade; ausência de reação, imobilidade; estagnação; matéria que oferece resistência à aceleração.
  49.  Ingratidão: Que ou aquele que não reconhece e não dá o merecido valor aos favores ou benefícios que lhe foram dados; que não recompensa devidamente o trabalho que lhe é prestado; que não corresponde à afeição que se lhe dedica. Que mostra ingratidão. Não é agradável, que não é fácil de suportar; árduo, desagradável, penoso. Não dá o resultado desejado.
  50.  Insensatez: tolo, sem juízo, desapercebido.
  51.  Irreverência: pessoa que não acata regras e ordens.
  52.  Irritabilidade: Propensão para se irritar ou exaltar. Causar irritação ou perturbação a alguém ou a si próprio; encolerizar, enervar, enraivecer, exasperar, irar.
  53.  Jactância: vangloria, presunção, arrogância.
  54.  Jactancioso: quer mostrar para os outros e ostenta suas qualidades ou seus feitos; expressa arrogância ou possui uma opinião elevada acerca de si mesmo. Vaidoso e orgulhoso. Pessoa que conta vantagem, gosta de demonstrar coragem e mostrar o que fez; fanfarrão que conta seus feitos.
  55.  Lascívia: sensualidade, luxúria, libidinoso. Instinto egoísta, idólatra.
  56.  Libertinagem: devassidão, característica de quem vive uma vida libertina, ímpio, insubordinado, dissoluto, insubmisso. Pessoa sem regras, que extrapola limites e sem respeito pelo próximo. Pessoa incrédula, que não crê em Deus.
  57.  Luxo: suntuosidade excessiva. Fazer cerimônia em aceitar algo; fazer manha.
  58.  Malícia: aptidão ou inclinação para fazer o mal. Habilidade para enganar, despistar; astúcia ardil; manha, esperteza, astúcia; atitude graciosa e marota de ser. Interpretação picante, zombaria fina e picante, intenção satírica, maldade.
  59.  Menosprezo: profunda indiferença em relação às pessoas; deprecição, sentimento de aversão e repugnância.
  60.  Murmuração: queixar-se; reclamar; declaração contrária; falta de fé.
  61.  Negligência: irresponsável; desleixo; descuidado; preguiça, ausência de motivação; indisposição; omissa.
  62.  Ociosidade: pessoa inativa; ausência de disposição; falta de empenho.
  63.  Ofuscante: aquilo que impressiona.
  64.  Opulência: excesso de riqueza ou de bens materiais; elevação de espírito, de sensibilidade, de comportamento.
  65.  Orgulho: sentimento de satisfação com os seus próprios feitos e qualidades, ou com as realizações de outras pessoas; algo ou alguém sobre os quais se tem orgulho; soberba; elevado conceito que se tem de si próprio ou de outro. Amor próprio, exposto de modo exagerado. Um desdém que demonstra desprezo ao próximo. Sentimento de contentamento em relação à alguma coisa. Excesso de admiração que se tem em relação a si próprio, está baseado em suas próprias características.
  66.  Ostentação: expressão de riqueza, luxo, pompa; exaltação dos bens. Ostenta as suas próprias qualidades.
  67.  Pedante: pessoa que exibe de modo arrogante certo grau de erudição ou cultura; aparenta ter conhecimento que não possui na realidade; pessoa pretensiosa em se autovalorizar e valorizar seus conhecimentos, como se fossem superiores ao dos outros. Por exemplo, costuma corrigir os erros gramaticais das outras pessoas. Considera seu ponto de vista mais correto pelo fato de se considerar intelectualmente mais avançado do que as outras pessoas. Pode ser um sintoma de certas desordens mentais, como o TOC ou autismo.
  68.  Perfeccionismo: exigência exagerada de perfeição em relação a si mesmo ou aos outros.
  69.  Pompa: instrumento de ostentação; excesso de luxo. Os falsos prazeres do mundo.
  70.  Preguiça: aversão ao trabalho; pouca disposição para trabalhar; lenta para fazer qualquer coisa; moleza no corpo.
  71.  Prepotente: pessoa muito poderosa e influente que abusa do seu poder e autoridade; características de tiranos e déspotas, e de regimes absolutistas que geralmente usam seu poder para oprimir as pessoas. Arrogante, pois se considera superior aos outros, trata as pessoas de forma desrespeitosa.
  72.  Presumido: aquele que se baseia em uma suposição. Expressa seu ponto de vista excessivamente bom acerca de si mesmo. Alguém que pode admitir como algo verdadeiro a partir somente das aparências. Muito vaidoso. Orgulhoso.
  73.  Presunção: ato de presumir, tirar conclusões baseadas em indícios, dicas ou aparências. Ideia antecipada. Opinião excessivamente boa acerca de si mesmo. Demonstração de vaidade. Afetação. Segurança ou confiança que tem em si mesmo. Leva aos julgamentos errados. Origina a adivinhação. Erra ao presumir que a outra pessoa fará o mesmo que você.
  74.  Pretensioso: ambiciona em excesso alguma coisa; presunção; vaidade exagerada. Deseja ser bem mais do que realmente é. Muito rebuscado e pedante.
  75.  Procrastinação: adiar, adiamento de uma ação; gera um stress, culpa e vergonha. P. crônica: sinal de doenças psicológicas. Ligado a baixa estima e ansiedade.
  76.  Prodigalidade: pessoa pródiga; o que se demonstra esbanjamento, gastos em excesso.
  77.  Pródigo: esbanjador, gastador, aquele que gasta e destrói desordenadamente seus bens, reduzindo-se à miséria.
  78.  Rebuscado: algo complicado e confuso; pomposo; pretensioso.
  79.  Requintar: levar ao auge, aprimorar.
  80.  Sabichão: pessoa que acha que sabe e entende de tudo.
  81.  Sarcasmo: zombaria, escárnio, ironia amarga, provocatória, insulto. Dizer o contrário do que se pensa. Menosprezar e desprezar uma pessoa.
  82.  Sátira: ridicularização; crítica categórica e dura feita de maneira irônica que leva a zombaria.
  83.  Soberbia: denota muita soberba, arrogância e orgulho. Acha-se superior aos outros, se vê de um modo mais elevado que os demais. Espírito que entrou em Nabucodonosor que faz com que pessoa se coloque no lugar de Deus e que não precisa de Dele.
  84.  Sofisticação: engano de sofisma; aquilo que foi alterado, adulterado; falsificado. Sutileza; que não é natural, totalmente superficial. Espírito intelectual e rebuscado. Espírito puritano (puro apenas por fora).
  85.  Sofisticado: considerado algo de bom gosto e requinte; rebuscado; glamour; adulterado.
  86.  Status: prestígio, renome.
  87.  Sumptuoso: excesso de dinheiro gasto; o que está repleto de luxo.
  88.  Suntuoso: em que há excesso de ostentação. Aquilo que demanda grande quantidade de dinheiro.
  89.  Superioridade: Qualidade ou característica do que é superior
  90.  Tenacidade: apego obstinado a uma ideia; tem sua origem na avareza. Aquele que tem uma grande coesão, que é firme, viscoso, aderente. Dificuldade de ser moldável, de desapegar-se. Tão apegado a uma ideia que chega a incomodar e aborrecer as outras pessoas.
  91.  Timidez: condição de tímido; acanhamento excessivo; acanhamento.
  92.  Ufano: pessoa que se orgulho demasiadamente de suas conquistas; fanfarrão que conta e elogia demais as suas próprias conquistas. Desprovido de modéstia. Expressa um excesso de admiração pelas suas próprias qualidades. Sente orgulho de qualquer coisa.
  93.  Ultrajar: ofender; insultar gravemente; afrontas e insultos. Não respeitar uma lei.
  94.  Vaidade: Ostentação das próprias qualidades físicas ou intelectuais, para ter a admiração de outras pessoas.
  95.  Vanglória: vaidade exagerada, opinião excessivamente boa acerca de si mesmo. Orgulha-se demasiadamente das suas qualidades e aptidões e se vangloria disso, ou seja, faz questão de expressar isso.
  96.  Verberar: açoitar, flagelar, censurar, criticar.
  97.  Vergonha: Sentimento de humilhação ou de desonra; vexame; receio de se sentir ridículo perante as pessoas.
  98.  Vituperar: insultar, ofender as pessoas. Censurar, menosprezar.
  99.  Vulgaridade: Atitude, comportamento e palavra ou expressão vulgar; que revela ser de qualidade inferior; baixo, grosseiro.
  100.  Zombador: Que ou aquele que faz zombarias ou chacotas; chacoteador, chacoteiro, gozador, ridicularizador, zombeirão, zombeteiro.

 

 

altivezarrependimentodiscípulo de CristoEspírito SantoleviatãlistaorgulhosoberbaTrono de Deus

igrejagloriosa • 4 de dezembro de 2016


Previous Post

Next Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado / Campos obrigatórios estão marcados *